Operação Safra Segura tem objetivo de combater furtos e roubos durante a colheita do café em Minas Gerais

 

 

BELO HORIZONTE (31/7/2020) - A Polícia Militar de Minas Gerais está desenvolvendo em todo o estado a operação Safra Segura. O objetivo é reforçar o combate à criminalidade no meio rural e aumentar a segurança da população que vive no campo.

A operação começou em maio e visa, principalmente, coibir furtos e roubos durante a colheita do café. Nesta época, existe uma grande movimentação de pessoas, veículos e mercadorias nas propriedades e estradas rurais. Em Minas Gerais, a cafeicultura está presente em cerca de 440 municípios. O estado é o maio produtor do país e deve produzir neste ano entre 30 milhões e 32 milhões de sacas (60kg). 

As ações da Safra Segura contam com a intensificação do patrulhamento preventivo e visitas a produtores rurais. Também são feitas abordagens a indivíduos em atitudes suspeitas nas comunidades e, ainda, a divulgação de dicas de segurança e de medidas de proteção aos moradores. A operação permanece até o fim de outubro. 

A Emater-MG, vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa),  está apoiando a operação, com divulgação das dicas de segurança da PM em seus canais de comunicação e no fornecimento de informações que possam contribuir com as ações policiais. 

Segundo o major Flávio Santiago, porta-voz da Polícia Militar, o cruzamento de informações com a Emater-MG ajuda a conhecer as necessidades das famílias rurais e a aumentar a capacidade de gestão policial, diminuindo a incidência de crimes. 

“O aperfeiçoamento do modelo de policiamento, com modernização de equipamentos, atrelado à aproximação com as famílias das zonas rurais, possibilitará o aumento do ganho de informações. Esta operação tem tido um resultado muito importante, com parcerias sólidas como a da Emater”, afirma o major. 

Veja as principais dicas da operação Safra Segura:

*Priorizar a contratação de trabalhadores que tenham indicações e verificar as referências.

*Fazer o pagamento de trabalhadores com cheques ou por transferência entre contas. O pagamento com dinheiro em espécie pode atrair criminosos.

*Construir os terreiros de café longe das estradas. Isso dificulta a ação de infratores que furtam o produto diretamente dos terreiros de secagem. 

*Instalar câmeras de monitoramento na propriedade, inclusive nos terreiros de café.

*Se possível, evitar armazenar o café em sacas de 60kg. Elas facilitam o transporte da mercadoria por infratores. 

*Evitar guardar grandes estoques de café na propriedade. Eles devem ser mantidos nas cooperativas.

*Transportar as sacas de café durante o dia, evitando os períodos noturnos.

*Investir em equipamentos eletrônicos que possibilitem o rastreamento da produção.

*Negociar o café com pessoas com referências, conhecidas no mercado.

*Desconfiar de compradores de café que ofereçam valores muito acima do mercado.

*Colocar cadeados em porteiras e portões.

*Não deixar máquinas e equipamentos agrícolas visíveis. Eles devem ficar guardados em locais trancados. 

 

Assessoria de Comunicação – Emater-MG

Jornalista responsável: Marcelo Varella

E-mail: marcelo.varella@emater.mg.gov.br

www.emater.mg.gov.br

facebook.com/ematerminas

Foto: PMMG

 

 

Publicado em: 31/07/2020



Matérias Relacionadas

Jovem cafeicultora de Minas Gerais é finalista em concurso internacional de inovação (31/07/2020)

Governo de Minas anuncia realização do Concurso de Qualidade de Café de 2020 (31/07/2020)