Foco da Agenda

Culturas como mandioca, milho e feijão, assim como as frutas, hortaliças e pequenos animais, são itens fundamentais na alimentação humana e importantes fontes de renda, sobretudo para agricultura familiar. Por meio desta Agenda, a Emater-MG atua junto aos produtores rurais, prestando orientações para uma produção cada vez mais eficiente e sustentável, impactando no desenvolvimento do campo e na garantia de alimentos saudáveis à população.

 

Culturas

A Emater-MG, trabalha nas principais cadeias de grãos, mandioca e cana de açúcar em Minas Gerais, com ações voltadas para a melhoria das práticas agronômicas e foco na proteção do ambiente, do produtor e da sua família, na perspectiva da inclusão produtiva e geração de ocupação e renda. Neste sentido, os trabalhos são direcionados na busca de novas tecnologias de produção que promovam a harmonia do tripé ambiental, social e econômico, com o controle financeiro da produção e da propriedade, promovendo a manutenção dos agricultores familiares com qualidade de vida no campo.

 

Desafios e Proposições

  • Integrar ações com órgãos de pesquisa visando o desenvolvimento de tecnologias sustentáveis.
  • Estimular ações voltadas para a organização dos produtores.
  • Aprimorar processos produtivos e reduzir o uso de agrotóxicos.
  • Estimular práticas mitigadoras de possíveis danos ambientais e práticas benéficas à consecução e ampliação dos recursos hídricos.
  • Desenvolver ações que promovem a sucessão rural, mantendo o jovem no campo.
  • Realizar ações de divulgação e experimentação de tecnologias nas áreas de integração lavoura-pecuária (ILP), plantio direto , cultivo de milho, feijão, sorgo e mandioca.
  • Acordo de cooperação com o Centro Brasileiro de Referência da Cachaça para ações de capacitação de produtores de cachaça artesanal.
  • Realizar Palestras técnicas em todas regiões do Estado para estimular a organização rural.

 

 

Fruticultura

A Emater-MG, trabalha em prol do desenvolvimento sustentável da fruticultura em Minas Gerais, com ações voltadas para a melhoria das práticas agronômicas e foco na proteção do ambiente, do produtor e da sua família, na perspectiva da inclusão produtiva e geração de ocupação e renda. Neste sentido, os trabalhos são direcionados na busca de novas tecnologias de produção que promovam a harmonia do tripé ambiental, social e econômico, com o controle financeiro da produção e da propriedade, promovendo a manutenção dos agricultores familiares com qualidade de vida no campo.

Por meio do Frutificaminas, a Emater–MG realiza palestras técnicas, em regiões estrategicamente escolhidas, para motivar, estimular e disponibilizar informações técnicas e conjunturais aos produtores rurais mineiros no segmento da fruticultura. A proposta é reunir, nas regiões polos em produção de frutas, alguns dos mais renomados pesquisadores, especialistas, técnicos e extensionistas agropecuários na área de fruticultura, visando a integração e atualização dos produtores, estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e profissionais do setor. Minas Gerais ocupa o 4º lugar na produção nacional de frutas, gerando mais de 550 mil empregos diretos e indiretos. Hoje, o Circuito é considerado o maior evento da fruticultura mineira.

 

Desafios e Proposições

  • Integrar com os órgãos de pesquisa visando o desenvolvimento e intercâmbio de tecnologias sustentáveis.
  • Desenvolver ações voltadas para a organização dos produtores e modernização de sistemas de produção de frutas.
  • Aprimorar os processos produtivos, reduzindo o uso de agrotóxicos.
  • Intensificar ações de manejo e regulamentação do uso da água destinada à produção de frutas (tecnologias de irrigação).
  • Estimular a participação dos jovens, a partir de 15 anos, nos processos de gestão e produção.

Olericultura

Minas Gerais é o segundo maior produtor nacional de hortaliças, com mais de 50 espécies de hortaliças plantadas, sendo o primeiro na produção de batata, mandioquinha-salsa e cenoura e o segundo em tomate para mesa e inhame. O estado possui uma área plantada anual em torno de 120 mil hectares e uma produção estimada de 3,5 milhões de toneladas. A agricultura familiar é responsável por 50% desse total. Estima-se que o valor bruto da produção neste setor seja de R$ 4 bilhões. Além disso, o cultivo de hortaliças gera cerca de 120 mil empregos diretos e indiretos. Dos 68,7 mil horticultores do estado, aproximadamente 65 mil são agricultores familiares. 

Além de todo o trabalho na assistência técnica, gestão e comercialização dos produtos hortícolas, uma importante ação da Emater–MG nesta área é o resgate das hortaliças não convencionais. Elas tiveram um papel fundamental na constituição cultural e alimentar da população brasileira, e, devido à maior competitividade comercial de outras hortaliças, houve, por parte dos agricultores, a substituição do cultivo desses vegetais. O trabalho de resgate de hortaliças não convencionais tem a finalidade de restabelecer, junto com agricultores e a população, a importância cultural e nutricional dessas plantas. Este resgate é possível por meio da implantação de bancos comunitários de multiplicação e conservação de hortaliças não convencionais, que possibilita a formação de multiplicadores para o plantio e utilização dessas hortaliças, na busca da melhoria da alimentação da população rural. A Emater-MG também é responsável pela emissão do Boletim Informativo de Produção. O documento é necessário para o credenciamento de produtores de hortigranjeiros que pretendem comercializar no Mercado Livre do Produtor (MLP) nos seis entrepostos da CeasaMinas e demais centrais de abastecimento municipais existentes no estado. 

 

Desafios e Proposições

  • Integrar com os órgãos de pesquisa visando o desenvolvimento e intercâmbio de tecnologias sustentáveis.
  • Desenvolver ações voltadas para a organização dos produtores e modernização de sistemas de produção de hortaliças nos cinturões verdes que abastecem os grandes centros.
  • Aprimorar os processos produtivos, reduzindo o uso de agrotóxicos.
  • Intensificar ações de manejo e regulamentação do uso da água destinada à produção de olerícolas (tecnologias de irrigação).
  • Estimular a participação dos jovens, a partir de 15 anos, nos processos de gestão e produção.

 

Apicultura 

A atividade apícola envolve cerca de 7 mil apicultores e gera mais de 42 mil empregos diretos e indiretos em Minas Gerais. O Estado ocupa o 5º lugar na produção de mel do país, com uma média de produção de 6,3 mil toneladas/ano, segundo dados do Safra Pecuário-Emater-MG, que corresponde a 12% da produção nacional. Minas também é o principal produtor de própolis verde, com oito toneladas/ano, o que equivale a 90% da produção brasileira. A Emater–MG presta o serviço de assistência técnica e extensão rural aos apicultores de Minas Gerais, garantindo, de maneira sustentável, trabalho e renda, com uso de tecnologia e melhoria na gestão, produção e organização dos agricultores familiares. Além disso, desenvolve iniciativas que valorizam os produtos regionais.

Avicultura

O Brasil é um dos maiores produtores de carne de frango do mundo. No cenário nacional, Minas está no quinto lugar na produção de carne, além de ocupar o terceiro posto na produção de ovos de galinha. Na agricultura familiar, a criação de galinhas caipiras de dupla aptidão aumentou 30% em Minas Gerais, nos últimos anos. E a perspectiva é de que cresça ainda mais por apresentar grande demanda no mercado, onde a carne e o ovo – ambos com sabor diferenciado – são considerados produtos nobres, com alta qualidade nutricional. Apesar da demanda crescente, a produção da ave e dos ovos de galinha caipira ainda é considerada baixa no Brasil, uma realidade que se torna uma opção interessante para elevar a renda da propriedade familiar, com apoio da assistência técnica de qualidade prestada pela Emater-MG

Piscicultura

Em Minas Gerais, a piscicultura tem grande potencial, devido à riqueza hídrica com mais de 5 mil km² de espelhos d’água, à proximidade com o mercado consumidor, à disponibilidade de insumos, à existência de instituições e profissionais com capacidade técnica e operacional para prestar apoio aos agricultores. Grande parte da produção mineira vem de tanques redes, mas os viveiros escavados e a produção em sistemas fechados também estão ganhando espaço na produção mineira. 

A espécie dominante na produção, tanto nacional quanto mineira, é a tilápia. Ela representa 95% das espécies produzidas no Estado. Mas a criação de truta na Serra da Mantiqueira merece grande destaque, assim como a produção de peixes ornamentais na Zona da Mata mineira. Nestes locais, estão os maiores polos nacionais de produção das duas espécies. A Emater–MG realiza ações de extensão rural e assistência técnica aos piscicultores com ênfase no manejo sustentável da atividade econômica, nos campos da produção, do processamento e da comercialização. Outras ações desenvolvidas pela Empresa neste setor são voltadas para a obtenção de crédito e incentivo ao consumo.

 

Desafios e Proposições

  • Qualificação dos extensionistas em processos de produção com foco em todas as fases da cadeia do pescado;
  • Fomentar e regularizar a piscicultura nos procedimentos ambientais, sanitários, organizativos e fiscais;
  • Realizar articulações institucionais no intuito de garantir melhoramento da produtividade e tecnologias sustentáveis que possam agregar maior valor ao produto;
  • Incentivar a comercialização e o consumo;
  • Alavancar a produção e consolidar os pólos da truticultura, de peixes ornamentais, da tilápia e de outras espécies;
  • Garantir acesso ao crédito e ATER aos pescadores e piscicultores do Estado;
  • Consolidação do pescado como fonte de trabalho, renda e de inserção social.
  • Organização de seminários regionais, cursos, palestras, etc.
  • Elaboração de projetos técnicos

Parcerias

  • Secretaria de Estado de Agricultura Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais - Seapa
  • Empresa de Pesquisa de Minas Gerias - Epamig
  • Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA
  • Ceasaminas
  • Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – Mapa
  • Empresa de Pesquisa Agropecuária – Embrapa
  • IFET – MG
  • Empresas privadas do setor agropecuário
  • Prefeituras Municipais e Câmaras de Vereadores
  • Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Universidade Federal de Lavras – Ufla
  • Universidade Federal de Viçosa – UFV
  • Associações de Produtores Rurais e Cooperativas
  • IFET - MG
  • Conselho Brasileiro de Referência da Cachaça - CBRC
  • Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba - CODEVASF
  • Senar

 

Gestor da Agenda

Georgeton S. Ribeiro Silveira  – georgeton@emater.mg.gov.br

 



Matérias Relacionadas